Diferença entre as tecnologias OLT e ONU

ONU e ONT: entenda a fundo as diferenças entre as duas tecnologias

A eficiência dos serviços de fibra óptica é inegável. Essa tecnologia tem dominado o país, e seu advento permitiu uma expansão enorme da capacidade de redes. Ela tem sido cada vez mais adotada por empresas e casas, participando ativamente da vida das pessoas. 

Interessado em aprender um pouco mais sobre as sutilezas dos sistemas Fiber to Home, em especial em redes ópticas passivas (PON)? Hoje, vamos responder à pergunta: “qual a diferença entre as tecnologias ONU e ONT?” Siga conosco e tire suas dúvidas:

Compreendendo a OLT na rede GEPON

Adiantamos que os dois equipamentos (ONU e ONT) podem se utilizar dos mesmos princípios de distribuição de pacotes de dados. A diferença mora, de fato, na forma como suas estruturas chegam ao consumidor final. 

Nos sistemas GEPON, o sinal emitido pelos OLTs (terminais de linhas ópticas) é feito através dos cabos e pode conter tipos diferentes de pacotes – tv digital, VoIP, além, é claro, de internet. Este terminal costuma ser único, posicionado nas dependências do provedor de serviços, e seus sinais são emitidos para outros dispositivos próximos ao consumidor. 

Em cada ponto de distribuição considerado final, ou seja, o terminal do usuário, a tecnologia que chega efetivamente ao cliente pode ser dividida entre dois tipos: ONU, ou unidade de rede ótica, e ONT, terminal de rede ótica.

Afinal: qual a diferença entre as tecnologias ONU e ONT?

A diferença entre as tecnologias ONU e ONT fica justamente por conta de como o sinal chega ao consumidor final.

Possuir um Terminal de Rede Óptica (do inglês: Optical Network Terminal, ONT), significa que o cliente conta com um equipamento ativo para a recepção do sinal nas dependências de sua casa. Ele fará sua interface com o sinal passivo recebido do distribuidor.

Logo, você possui um módulo de uso que pode ser configurado em casa e que conta com entradas para diferentes recursos via cabo óptico, como sinal de internet sem fio, vídeo, sinal VoIP, para ligações via sinal de internet e afins. Esse aparelho, que pode ser um modem, por exemplo, opera como um terminal, de onde mais dependências são conectadas para aproveitar os serviços distribuídos.

Uma Unidade de Fibra Óptica (Optical Network Unit, ONU), por outro lado, fica instalada fora das dependências do consumidor. O sinal do distribuidor é captado em um aparelho também ativo que fica instalado em dependências externas, nas vias públicas, geralmente em armários, bastidores ou pedestais, devidamente protegidos contra o efeito das chuvas, da temperatura e vandalismos.

Essa unidade é alimentada de maneira autônoma, seja de pares metálicos, coaxiais ou de fibra óptica, para receber desse “quadro” de unidade de distribuição do sinal. Aqui, o usuário não possui uma interface direta em suas dependências, mas o serviço distribuído e a acessibilidade aos diversos tipos de sinal que trafegam pela arquitetura PON serão os mesmos.

ONU ou ONT: qual escolher?

A escolha do modelo varia muito de acordo com o tipo de serviço disponibilizado, pois a modalidade de sinal oferece funcionalidades distintas aos usuários. É incomum que se precise ter uma interface de sinal de tv ou telecomunicação, por exemplo. No uso doméstico, pelo menos, são raras as situações em que é necessário resetar o serviço de TV. Com o sinal de internet, por outro lado, essa necessidade pode ser bem frequente.  

Possuir uma interface doméstica para esse sinal pode ser de preferência do seu cliente. Com o ONT, um terminal privado, ele poderá ter alguma autonomia a mais sobre seus pontos de acesso. Mesmo assim, deverá entender que isso acarreta em custos extras, que podem ser significativos.

Os pontos ONU têm um preço menor e são muito bem-vindos em prédios, sejam residenciais ou comerciais, grandes empresas e outras situações em que se deseja distribuir sinais de uma mesma unidade. Havendo técnicos para fazer reparos mínimos, é bastante viável em ambientes com vários usuários, especialmente porque a maior parte dos serviços ainda virá da distribuidora de sinal (OLT).

O veredito: a melhor opção para cada necessidade

Concluímos, portanto, que a diferença entre as tecnologias ONU e ONT reside na comodidade do usuário e no investimento que se pretende empregar. 

Enquanto ter um terminal de conexão dentro da sua própria casa pode ser útil para os usuários de perfil mais ativo, com mais conexões e atribuições, e que necessitam realizar alterações de maneira mais frequente, os pontos ONU são capazes distribuir sinal de uma unidade coletiva que será acessada por seus usuários sem uma interface privada. Ainda assim, todos receberão os mesmos sinais enviados pela central distribuidora.

A questão gira em torno da comodidade e do custo, pois os benefícios do serviço não se alteram.

E aí, conseguiu tirar as suas dúvidas de fibra óptica? Conta pra gente nos comentários. E, é claro, não se esqueça de deixar sua sugestão de tema para as próximas postagens do nosso blog. É a sua contribuição que nos ajuda a criar o melhor conteúdo para os amantes de tecnologia e conectividade!

Para ficar sempre por dentro de tudo o que acontece por aqui, assine nossa Newsletter. Nos vemos no próximo post. Até!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *