Conheça os cabos de fibra óptica da Sterlite Tech Conduspar

Conheça os cabos de fibra óptica da Sterlite Tech Conduspar!

Como sempre dizemos aqui em nosso blog, as fibras ópticas estão ganhando cada vez mais espaço no mercado e substituindo os cabos coaxiais de cobre com muita rapidez.

Isso porque, a cada dia, mais consumidores superam o receio de investir em fibra óptica e deixar os cabos tradicionais para trás. Nessa onda de renovação, há marcas que se destacam, é o caso da Sterlite Tech Conduspar que está em alta.

Se ainda não a conhece, acompanhe nosso post!

Conheça agora os modelos de cabos de fibra óptica da Sterlite Tech Conduspar!

A Sterlite Tech Conduspar surgiu da fusão de uma empresa indiana especializada em fibra óptica de nome Sterlite Tech com a Conduspar, especialista em cabos elétricos. Assim nasceu a Sterlite Tech Conduspar.

Com a tecnologia de ponta da indiana e o processo de produção de alta exigência da paranaense Conduspar, resultaram cabos de fibra óptica de alta qualidade para transmissões de luz infravermelha estáveis e potentes para conexões super rápidas.

Mas a Sterlite Tech Conduspar não para de evoluir e diversificou seus modelos de cabos, chegando a produzir 11 tipos diferentes.

Vamos falar um pouco sobre alguns deles para você. Veja!

Modelo de Cabo Óptico As

O primeiro da lista é projetado para ser instalado em redes aéreas de postes de 80 até 200 metros de altura.

É um cabo de até 144 fibras do tipo monomodo. O cabo óptico AS atende as normas da ABNT (NBR 14.160) e os requisitos da Anatel, por isso, é recomendado para aplicações em redes de transporte, metropolitanas e de acesso FTTx/FTTH.

Em relação à proteção, o AS é vedado contra a entrada e propagação de água, sendo fornecido nas versões Geleado (G), Seco (S) ou Totalmente Seco (TS).

O cliente também pode escolher entre capa simples (KP) ou capa dupla (PKP), do tipo NR (Não retardante) ou RC (Retardante a chama), de acordo com a sua necessidade.

Cabo Drop Fig 8

O Drop Fig 8 é composto de 1 a 12 fibras para ser utilizado em alturas de até 80 metros. Possui um elemento de tração principal, chamado de mensageiro de aço.

Por conta disso, é indicado para a instalação em redes de acesso FTTx/FTTH e para a interligação das Caixas de Terminação Óptica e acesso aos clientes.

A capa do Drop Fig 8 é de uso geral, mas não é recomendada para a construção de redes backbones e metropolitanas.

O cabo segue a norma da ABNT: NBR 15.596 e os requisitos da Anatel.

Cabo ASU 80

Também aéreo e autossustentado, esse se aplica em postes de até 80 metros. De tubo único do tipo ASU 80, o cabo é formado por dois elementos de tração (FRPs) encordoados com o tubo loose, que pode ter de 2 a 12 fibras ópticas.

O ASU é orientado para instalação nas redes de acesso FTTx/FTTH, para a interligação das Caixas de Terminação Óptica e para dar acessos aos clientes

Não é usado para backbones e sua capa não propaga chamas, atendendo as regras da ABNT e as exigências da Anatel.

Cabo ASU 120

Esse é bem similar ao anterior, porém, seu tubo é o ASU 120. A aplicação é aérea, em altura de até 120 metros e sua estrutura é feita de dois elementos de tração (FRPs) encordoados com o tubo loose, com possibilidade de 2 a 12 fibras ópticas.

O cabo ASU 120 é recomendado para instalação nas redes de acesso FTTx/FTTH, nas secções de alimentação e distribuição, também utilizado para backbones e redes metropolitanas.

Em relação a capa de proteção, há duas opções: o Não-Retardante e o Retardante a Chamas. Assim como o ASU 80, ele cumpre as exigências dos órgãos reguladores.

Cabo Drop Flat

O Drop Flat é usado de modo autossustentado para vãos até 80 metros. Com três cabos condutores de aço, um elemento de tração principal que é o mensageiro, além de dois secundários.

A fibra óptica do tipo BLI (Bending Loss Insensitive) o completa. Já a capa protetora é a LSZH (Low Smolke Zero Halogen), de baixo atrito. Ele conta com adesivo sobre o fio de aço mensageiro, que o faz ser de alto desempenho para redes de banda larga.

A vida útil dessa versão é um diferencial, pois é super-resistente contra as ações do tempo. Além de cumprir com as exigências dos órgãos reguladores.

Cabo DD

Esse é o cabo óptico dielétrico (isolante elétrico) para dutos. Sua estrutura consiste em multitubos encordoados sobre um elemento central FRP, por isso, é possível ter de 2 até 144 fibras ópticas.

É um modelo mais robusto, geralmente, indicado para instalação de redes backbones, metropolitanas e de acesso FTTx/FTTH. É possível, ainda, ser utilizado em redes aéreas por espinamento e atende a norma ABNT: NBR 14.566 e os requisitos exigidos pela Anatel.

Cabo DE

Dielétrico, com aplicação em dutos, o DE pode ser enterrado diretamente no solo e é orientado para instalação de redes de acesso FTTx/FTTH, redes backbones e metropolitanas.

Sua estrutura é constituída de um elemento central FRP e tubos loose encordoados, portanto, é capaz de suportar de 2 até 144 fibras ópticas.

A capa protetora interna é de polietileno, com um revestimento de poliamida (Nylon) e outra camada externa de polietileno. Ou seja, não tem segurança contra propagação de chamas.

E aí, já sabe qual o cabo de fibra óptica ideal para a sua situação? Entre em contato com a ConectWi e solicite um orçamento. Nossa equipe está à disposição para tirar todas as suas dúvidas e te ajudar a escolher a melhor opção de cabo de fibra óptica dessa marca que está inovando o mercado! Acompanhe nosso blog e confira outros posts como esse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *