Conheça as melhores antenas wireless.

Conheça melhor as antenas omnidirecionais

As antenas omnidirecionais estão sendo, cada vez mais, requisitadas em diversos ambientes, graças à sua engenharia diferenciada. São modelos variados feitos para serem aplicados nos mais distintos ambientes, que, por sua vez, exigem uma demanda importante de qualidade de sinal.

Vale a pena conhecer melhor sua estrutura, seus modelos e atribuições!

O conceito das antenas omnidirecionais

A maioria das antenas propaga sinal de forma direcionada. Esse funcionamento existe para que ela aproveite toda a sua capacidade acumulada em uma única direção. Dessa forma, esse funcionamento evita perdas de performance, uma vez que a maioria dos usuários possui sua antena própria e a usa individualmente.

No caso de quem distribui o sinal de internet, a necessidade é outra, pois, é exigido que as antenas ofereçam uma potência ainda maior. Por isso, os usuários acabam usando um número maior de antenas, posicionando-as em direção aos setores onde há a maior concentração de clientes.

Diferente dessa estrutura, as antenas omnidirecionais são capazes de oferecer uma irradiação de 360 graus de forma isotrópica. E isso quer dizer que: a mesma propagação é atingida em todas as direções.

Mas, a empregabilidade dessas antenas vai além do sinal de internet: sensores, serviços de Bluetooth e de muitos outros equipamentos já empregam essa opção, há bastante tempo. É muito provável que você usou desse tipo de serviço em prédios, espaços públicos ou até no seu modem – só faltou você notar.

Vantagens e desvantagens da propagação das antenas omnidirecionais

Na relação ônus x bônus, podemos dizer que: estes serviços possuem um sinal relativamente curto, no entanto, as antenas omnidirecionais modernas conseguem atingir um alcance mais amplo, o que as torna úteis em relação à distribuição de internet e outros tipos de sinal de onda ampla.

O fato das antenas possuírem um sinal de 360o isotrópico, certamente, causa algumas limitações na força de sua propagação em relação às demais antenas direcionais com os mesmos atributos. Por outro lado, elas têm aplicações muito práticas em uma série de situações. Basta imaginar a sua casa e o quanto a internet é fraca em um determinado cômodo e, em outro com uma distância parecida, não.

O conceito de propagação isotrópica afeta justamente esse ponto.

Agora, se você imaginar a mesma situação em ambientes maiores, como empresas, espaços públicos, universidades e estabelecimentos, fica mais fácil imaginar o quanto esse tipo de irradiação faz diferença para entregar um bom sinal aos seus usuários.

Essa estrutura possui uma variedade interessante para o uso dos internautas.

Os tipos mais comuns de antenas omnidirecionais

Dentre as opções de antenas omnidirecionais, certamente, as que são mais usadas, por aí, são as Rubber Ducks (patos de borracha) ou as Antenas Aéreas, que são de fácil instalação e, por possuírem uma proteção adequada, não são tão sensíveis à exposição externa.

As omnidirecionais costumam ter uma propagação média de 2 à 4 dBi’s (decibéis). E, o nível de decibéis é um critério importante ao escolher sua antena, pois, são eles que determinam a capacidade de propagação, por meio de obstáculos como paredes e outras ondas de diferentes amplitudes.

Até os 12dBs, podemos considerar que as antenas são de curto alcance. Como acontece com as antenas de teto, que são muito usadas não só como propagadoras de sinal, mas, também, como hotspots para ambientes públicos e estabelecimentos.

As antenas Aranha possuem diversas pequenas antenas em uma estrutura circular, o que multiplica sua distribuição isotrópica.

No ambiente externo, com alcance médio, é possível utilizar antenas GP, que oferecem uma onda maior, com até 17 dBis em sentido horizontal ou mais, dependendo da estrutura. Resistentes à chuva e aos efeitos do sol, elas costumam fazer parte dos tetos de casas em condomínios ou nas áreas externas de prédios.

Com as tecnologias MiMo (Multiple input, Multiple output), é possível usá-las não apenas como hotspots, mas também como bridges, pontes de propagação de sinal em pequenas áreas. Essas práticas acabam sendo muito mais econômicas em espaços menores de grandes demandas do que outros modelos direcionais.

Em certos casos, é possível cancelar a propagação isotrópica usando um refletor no verso da antena, simulando a propagação que seria padrão de uma antena direcional, com algumas perdas, mas, ainda sim, ampliando seu sinal para um sentido mais específico.

Quando escolher uma antena omnidirecional?

Se você recebe sinal de provedor individualmente, talvez uma antena direcional seja muito mais recomendada, especialmente para casos em que há grandes distâncias. Mas, caso busque outras finalidades, como a distribuição de sinal em espaços curtos, entre vizinhos, dentro de casa ou da empresa, as antenas omnidirecionais são ótimas opções.

Conclusão

Se você está na busca por uma antena omnidirecional, a ConectWi oferece as melhores e mais variadas opções, tanto para distribuidor quanto para usuário final! Em nossas categorias você encontrará modelos de curto, médio e longo alcance com ótimos preços.

Para continuar ligado em nossas postagens sobre o mundo dos provedores e redes, assine a newsletter do nosso blog e receba, semanalmente, conteúdos exclusivos em primeira mão!

Leia também: Você conhece os diferentes tipos de antena?.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *