Módulos GBIC x SFP

Entenda os benefícios e diferenças entre GBIC e SFP para sua rede.

Os módulos GBIC e SFP surgem para aproveitar sua infraestrutura de rede já estabelecida, oferecendo novas possibilidades de sinal e distância. Afinal, as demandas dos usuários mudam, mas você não precisa refazer toda sua estrutura do zero cada vez que precisar adicionar um novo implemento.

Continue a leitura e entenda os benefícios e as diferenças entre GBIC e SFP!

O que são os módulos GBIC e SFP e qual o papel deles em uma rede?

Quem trabalha com redes certamente já deve estar familiarizado com os chamados módulos GBIC e SFP.

Ao produzir um modem, o coração de um sistema de redes, algumas concessões precisam ser feitas para tornar a produção e venda dos aparelhos viáveis para as duas partes.
Não dá para criar um aparelho muito caro, com recursos que, apesar de importantes, podem acabar encarecendo o valor final e nem serem usados.

No geral, os switches são repletos de entradas do tipo UTP, para conectores RJ-45. A padronização é muito importante! Primeiro, para que todos os aparelhos de marcas diferentes possam se comunicar e, segundo, para que esse padrão não fique ultrapassado e os novos implementos tentem seguir medidas que se adequem aos padrões já vigentes.

É aí que entram os chamados Transceivers ou Transreceptores. Sua função é agir como uma adaptação para os switches se comunicarem com a tecnologia de fibra óptica e as novas velocidades do padrão Gigabit.

Os cabos de fibra óptica dependem de um pulso de laser para funcionar, mas a maior parte das tecnologias ainda trabalham com cabos elétricos.

A diferença entre ambas é grande. Enquanto os cabos padrão distribuem de 10 a 100 Mbps (Fast Ethernet) ou 10/100/1000 Mbps (Gigabit) com alcance de até 100 metros, os cabos de fibra óptica oferecem de 1 a 10 Gbs por alguns quilômetros, entre 100m a mais de 20km, de acordo com o tipo (monomodo ou multimodo, assunto para uma próxima postagem).

Apesar das grandes vantagens da fibra óptica, nem sempre ela é realmente viável para todas as instalações, devido ao preço maior e aos requerimentos de infraestrutura.

Então como lidar com tantas demandas diferentes?

Com os módulos GBIC é possível trabalhar sobre diferentes tipos de aplicações, seja de cabos de par trançado como fibra óptica, sem precisar mudar seu equipamento.

O papel dos módulos Mini GBIC e SFP é, quando conectado a uma porta especial do switch, tornar ambas as partes compatíveis.

Esses pequenos aparelhos transformam o sinal elétrico em sinal óptico.

Quais as diferenças entre GBIC e SFP?

A maioria dos switches contam com as portas GBIC, que são designadas para a instalação dos Transreceptores. Elas são portas à parte, para não ocupar espaço de outras entradas UTP.

Embora muitos técnicos as tratem como sinônimos, não é bem assim que funcionam:

A tecnologia GBIC surgiu primeiro, é um módulo mais “espaçoso”, com um padrão próprio. O SFP é chamado Mini GBIC, e apresenta um padrão diferente. Mas vale ressaltar que essa diferença de padrões é considerada na hora de escolher um modem: um não pode ser conectado na entrada do outro e vice-versa, então, é fundamental ficar atento a isso no momento de adquirir seu modem.

Cada um possui diferentes especificações e qualidades para o ambiente, facilitando a economia de acordo com as necessidades contratadas.

Vale a pena adquirir um módulo GBIC ou mini GBIC?

Valer a pena talvez nem seja o principal critério. De acordo com as demandas, pode ser que o técnico tenha de incorporar essas tecnologias ao seu trabalho.

A questão, na verdade, é a qualidade do transreceptor, que varia conforme a distância, o tipo e o sinal. O encaixe do modem e a largura do cabo irão determinar qual deve ser escolhido entre GBIC e mini GBIC.

Os transreceptores não precisam de energia, trabalham em modo análogo à função PoE. A performance das fibras ópticas é superior e permite um cascateamento muito mais longo entre os switches, sendo obrigatoriedade em alguns tipos de aplicação.

Durante seus serviços, é muito provável que uma equipe de TI seja confrontada com a necessidade de incorporar a fibra óptica a um ambiente. Os módulos GBIC e mini GBIC oferecem uma opção viável para que se possa trabalhar com diversos padrões e distâncias com a mesma infraestrutura.

Na ConectWi você encontra uma grande variedade de módulos transreceptores para escolher aquele que mais se adequa às suas necessidades. Não deixe de conferir!

E para receber mais artigos sobre esse universo, assine nossa newsletter e tenha tudo em primeira mão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *